Ciência, a Teoria da Evolução de Darwin e fé

Heisenberg

“No decorrer da minha vida vi-me repetidamente compelido a ponderar sobre a relação entre estas duas regiões do pensamento (ciência e religião), pois nunca fui capaz de duvidar da realidade daquilo para que elas apontam”

Werner Heisenberg

A ciência é tida como barreira intransponível para o que chamamos de fé. Consultando o tradicional dicionário Houaiss temos algumas definições, em poucas palavras, sobre esses dois ramos do pensamento humano :

:
1    no catolicismo, a primeira das três virtudes teologais
2    confiança absoluta (em alguém ou em algo); crédito
3    asseveração, afirmação, comprovação de algum fato
4    compromisso assumido de ser fiel à palavra dada, de cumprir exatamente o que se prometeu

Ciência :

1    conhecimento atento e aprofundado de alguma coisa
1.1    esse conhecimento como informação, noção precisa; consciência
1.2    conhecimento amplo adquirido via reflexão ou experiência
2    processo racional us. pelo homem para se relacionar com a natureza e assim obter resultados que lhe sejam úteis
3    corpo de conhecimentos sistematizados que, adquiridos via observação, identificação, pesquisa e explicação de determinadas categorias de fenômenos e fatos, são formulados metódica e racionalmente

Eu tenho na ciência e na fé. E você?

É incômodo discutir religião, principalmente de algumas doutrinas, que por meio da ciência, provaram-se  incorretas e falsas pelos fenômenos relatados (por exemplo a terra ser plana e achatada) . O bate e rebate fica sem sentido e conclusão, pois o religioso está voltado pela fé em sua crença, enquanto o cientista tem  factual e comprovável, através da experimentação e previsibilidade matemática no seu julgamento. Entretanto, dentre todas as crenças históricas milenares, a única que não é abalada, por não conter afirmativas falsas perante nossas leis naturais ou qualquer outro aspecto é a do Evangelho, ou a chamada Boa-Notícia. De fato, a Bíblia Sagrada, um livro tão extenso, das letrinhas, não possui sequer um dizer contraditório segundo a sabedoria dos homens.

Na época do misticismo e das divindades estranhas, a veracidade dos acontecimentos bíblicos é impressionante. Os seguidores do argumento que a Bíblia é apenas uma história fictícia e bem contada por algum charlatão não é forte o suficiente apoiada nessa verificação. A principal corrente atual contra as Escrituras Sagradas, foi baseada na Teoria da Evolução de Charles Darwin. Porém, não é de se espantar que a comunidade científica esteja errada, mais uma vez. Afinal de contas, que teoria pode ser consumada válida sem a experimentação? Aí encontramos a diferença crucial entre duas vertentes do método científico : dedução e teoria. Ora, não é possível experimentar a Evolução de Darwin. Nenhum ser humano presenciou a evolução funcionar e acontecer nas diferentes espécies, até hoje. Provavelmente nem o presenciará,  sendo necessários supostamente milhares de anos para tal processo. Ela é uma especulação.

dna-questiona-20110114112024

Por  certo tempo, a teoria foi jogada de lado, até que surgisse o Neo-Darwinismo, enunciado através da descoberta do DNA, precisamente, por mutações genéticas nos cromossomos e células. É surreal imaginar que um ser nasça com diferenças genéticas sucessivas em relação seus ancestrais comuns e assim evolua e adapte-se pela seleção natural num ambiente considerado anteriormente hostil para seus descendentes. Isso é tão embaraçoso e “milagroso” (a probabilidade da mutação dar certo e beneficiar o ser é baixíssima, pior ainda anunciar sua garantia genética sucessiva nas gerações!) que se nós – seres humanos, ainda existirmos como espécie nos próximos milhões de anos, o Neo-Darwinismo talvez ocupe o lugar da maior “mancada” científica de todos os tempos.

Se considerarmos que cada espécie leva em média 1 milhão de ano para surgir por meio da seleção natural e declararmos que a Terra possui 4,5 bilhões de anos e que tudo foi originado por um ancestral comum, teríamos apenas 4500 espécies de animais no planeta! O resultado é pequeno de todo modo, seja com ramificações ou diminuindo o tempo. É o pó da realidade!

===================================================================

Veja, muito foi explicado na Física Aristotélica. Um trabalho monumental, mas caiu por terra depois de milênios! Assim provavelmente o será com outras teorias científicas atuais que não passam por experimentação, e ficam nas hipóteses, belezas semelhantes e simétricas entre as coisas.

Anúncios

Sobre Douglas Aleodin

Mestre em Física pela Universidade Federal da Bahia.
Esse post foi publicado em Física, Física do dia-a-dia e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

21 respostas para Ciência, a Teoria da Evolução de Darwin e fé

  1. cleudiane franco de ananias disse:

    não esclareci as minhas dúvidas!!!aff

  2. Marllow disse:

    Como pode um estudante de física não ter nenhuma noção do que é a Ciência? Que estudante de Física é você? Que faz um comentário do tipo: “…que teoria pode ser consumada verdade sem a experimentação?” Como estudante de Ciência você deveria saber que jamais qualquer teoria foi consumada verdade em Ciência. Ciência não é um dogma religioso, portanto, nela não existem verdades eternas e imutáveis. Parece que não tem nem sequer noção do que é uma teoria em Ciência. Não saber que teorias científicas não são verdadeiras ou falsas; que são apenas a melhor explicação e que devem ser aceitas se não puderem ser refutadas. Teorias científicas não são aceitas porque foram provadas ou comprovadas, mas porque não puderam ser refutadas; são o status máximo que qualquer idéia pode ter em Ciência. Nada em Ciência já foi absolutamente provado. Quase nada em ciência é obtido por experimentação ou visualização direta. Ninguém jamais viu um átomo na vida, muito menos um elétron ou um netron. Entretanto ninguém vê religiosos infestando a internet esbravejando furiosos dizendo que os átomos não existem porque nunca foram vistos. O problema é quando as teorias científicas esbarram nos dogmas religiosos
    É; a Ciência e a educação científica está mesmo mal no Brazil.

    • Marllow, fico muito grato pela sua opinião.

      De fato, como já dizia Feynman, não existe certeza absoluta, mas graus de certeza. Discuti sobre a Teoria da Evolução de Darwin, que não é da minha área, pela percepção de que muitos professores apresentam a Teoria Darwinista como verdade consumada, nem sequer abrindo espaço para o Criacionismo. A discussão sobre o escopo do método científico é longa e meu tempo é curto. De qualquer modo, sugiro para você a leitura de Um Discurso Sobre as Ciências, de Boaventura dos Santos.

      Saudações.

      • adessio disse:

        Que não é verdade absoluta, ok, mas o que existe de científico no criacionismo???
        Porque um professor de ciências abriria espaço para o criacionismo?

  3. Luciane Schneider disse:

    Perfeito.

  4. Maycon disse:

    Criacionismo merece espaço na educação? Será mesmo? Já não basta as milhares de igrejas ensinando esto gratuitamente. Quer dizer, nem sempre gratuitamente. Rs…

  5. Maycon disse:

    ”Porque Deus, na sua sabedoria, não deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabedoria deles” I Coríntios 1:21

    Interessante como um deus, que é indetectável pela ciência pode ser impessoal e pessoal ao mesmo tempo?

  6. Marllow disse:

    Criacionismo não é ciência. Aulas de ciências não é lugar para se discutir religião. Não tenho nada contra o ensino religioso nas escolas, mas qual religião dentre as várias disponíveis? E porque as religiões judaico-cristãs merecem esse privilégio em detrimento das demais, como o candomblé, por exemplo, uma religião de expressão no Brasil? Como disse Maycon acima, já não basta o que as familias e principalmente as igrejas fazem? O ensino no Brasil, um estado laico, já é capenga demais para se perder tempo com ensino religioso. Já passou definitivamente da hora de por um ponto final nesta questão, principalmente numa época em que charlatães de todo tipo infestam a TV e constroem fortunas em nome de Deus e às custas de pessoas simples e ingênuas.

    • Maycon disse:

      Marllow, é como o padre do observatório do vaticano Dr. George Conye (Astrônomo e pHD) chegou a dizer. Que a distância entre as escrituras da Bíblia e o surgimento da ciência propriamente dita é tão grande que é um absurdo querer vender os contos bíblicos como ciência. Ou mesmo querer equivaler as duas coisas. Sendo que a bíblia foi escrita entre 2000 anos antes de cristo e 200 anos depois de cristo. E a ciência moderna surgiu quase 2000 anos depois de cristo passando por Galileu, Newton, Einstein e outros. Como bíblia pode ensinar ciência??? O.o

      • A Bíblia nunca foi e nunca será um livro científico, mas sim um livro de fé. Além disso, os dois primeiros físicos citados por você são os cabeças da mecânica clássica, que basicamente, é o fundamento de toda física; e nem por isso, deixaram de crer na Bíblia, contrariando totalmente, o que o “Dr.” do Vaticano disse. Por fim, as descobertas científicas (seja na Física, e muito mais na História) não tem força para dizer : “a Bíblia é falsa”.

        Sds.

      • Marllow disse:

        Sem dúvida, não são entidades hierarquicamente equivalentes.

    • É verdade. Criacionismo não é ciência, é uma crença. E por mais incrível que isto pareça : a Teoria da Evolução também o é. Afinal de contas, nenhuma das 2 “teorias” é passível de experimentação.

      Sds.

      • Maycon disse:

        Vamos lá, sejamos honestos, quais as chances de o criacionismo ser tornar uma verdade que transpassou pela ótica científica?
        A maioria dos cientistas criacionistas o são mais por uma questão cultural do que convencimento intelectual. Contrariando o que o Dr. George disse. Onde?
        Apelo a ignorância nunca será um argumento para sustentar a igualdade entre criacionismo e qualquer outra teoria científica.

      • Quando você diz : “são mais por uma questão cultural do que intelectual”, está errado. É justamente o contrário. Recomendo a leitura “Algumas observações sobre o Apocalipse de São João e o livro de Daniel” do Sir Isaac Newton”.

        Sds.

  7. Marllow disse:

    A ciência tem sim senhor , força para dizer que a bíblia é falsa, porque que baseia suas conclusões em evidências, fatos e dados; coerentes, consistentes e convincentes. Não pode existir duas verdades para um mesmo fato. Para que a bíblia seja a verdade, como querem os religiosos, o mínimo que se espera é que ela seja coerente com a verdade do mundo. A bíblia não pode dizer uma coisa e a natureza dizer outra. Se dados da natureza dizem que o nosso planeta tem 4,657 bilhões de anos; com evidências, fatos e dados; coerentes, consistentes e convincentes, não há motivo algum para acreditar que ela tem apenas 6 mil anos sem nenhuma evidência, fato ou dado que corrobore. Contra fatos não há argumentos e as pessoas são cépticas por natureza. Por mais que tenham fé, traem a sua descrença em ditados populares do tipo: “Deus ajuda quem madruga”, “P’ra baixo todo santo ajuda”. A Teoria da Evolução é ciência sim senhor, queiram os reigiosos ou não. Além disso, quem tem competência para decidir o que é ou não é ciência são os homens de ciência e não os religiosos.

    • Marllow, quando você utiliza o dado de que a Bíblia diz que a Terra tem 6 mil anos, saiba que isto é um dado errado, e em nenhum momento a Bíblia estima a idade da Terra. Sendo específico : os dias da criação bíblica, vem da palavra hebraica “yohm”, que pode significar também períodos de tempo não determinados. Além disso, é bem infantil interpretar os livros bíblicos – Gênesis por exemplo, ao pé da letra. Sobre a Teoria da Evolução ser ciência, eu não nego; mas ela é tão ciência quanto a hipótese do éter. Entenda : não é possível demonstrar, provar, experimentar a Evolução. A Evolução é uma ciência especulativa. Mas de qualquer maneira, nossa discussão apenas mostra como este é um assunto ainda em aberto. Pois, quando você diz “os homens de ciência”, saiba que a comunidade científica é dividida sobre a Teoria da Evolução; a Teoria da Evolução está muito longe de ser algo unânime na comunidade científica, tendo diversos cientistas de grande renome contrários a esta ideia.

      Saudações.

  8. Marllow disse:

    A teoria da evolução é uma teoria como qualquer outra em ciência. Portanto, atende a todos os requisitos e premissas para ser considerada ciência. Demonstração e experimentação da evolução ocorre o tempo todo nas universidades e centros de pesquisa mais avançados do mundo. Evidências, fatos e dados coerentes, consistentes e convincentes abarrotam os museus, os centros de pesquisa e as universidades do mundo inteiro. Tudo convergindo para a mesma direção que é o fato inegável da evolução biológica. A TE não deixará de ser ciência e nem a evolução biológica deixará de existir porque demole os dogmas religiosos. Quem diz que a TE é especulativa e não tem como ser experimentada deveria primeiro aprender sobre os rudimentos da ciência antes de saírem por aí cheios de autoridade emitindo opiniões sobre um assunto sobre o qual, a julgar pelo que escrevem, não têm a mínima noção. A TE, é sim, uma unanimidade entre todos os cientistas realmente sérios do mundo. Aqueles que a contestam estão mais comprometidos com suas crenças religiosas do que com a ciência. A maioria deles nem sequer são de área correlata às ciências biológicas. E convenhamos, um cientista da área de economia, por exemplo, não é uma pessoa lá muito habilitada a discutir evolução, embora possa haver exceções. Mesmo assim, esses tais “cientistas” não devem chegar a 1% dos homens de ciência do mundo. Seria bastante esclarecedor que esses senhores “cientistas” publicassem, honestamente, uma lista com seus nomes, a área da ciência em que atuam, se professam alguma religião e qual. A validade da TE é assunto fora de questão na ciência, gostem os religiosos ou não.

    • Marllow, o que é cientista sério para você? Existem tantos cientistas renomadíssimos contrários a ideia da evolução, que isso nem entra mais na pauta de uma discussão sobre evolução. O que quero dizer, e que é verdade, é que a evolução não é unanimidade na comunidade científica. E quando digo comunidade científica, me refiro a àrea da ciência natural. Posso citar alguns gigantes antigos declaradamente criacionistas : Kepler, Boyle, Newton, Linnaeus, Euler, Faraday, Babbage, Joule, Pasteur, Kelvin, Maxwell, Pascal, Thompson, etc. Já atualmente, existem incontáveis cientistas criacionistas, só para citar alguns : Arthur Schawlow, Willian Phillips, Sir William H. Bragg, Arthur Compton, Arno Penzias, Charles Townes, Guglielmo Marconi, etc. Todos estes com prêmio nobel em física, que é a minha àrea. Da àrea biológica, também há vários laureados com o prêmio nobel…(será que esses cientistas são sérios?). Como bom cientista, ou estudante, deve-se saber que a evolução possui furos, e que não é uma verdade absoluta na ciência. Não seja tão pragmático. Isso é ruim (até mesmo do ponto de vista científico).

      Sds.

  9. Marllow disse:

    Quando eu digo “cientistas sérios” refiro-me àqueles que estão empenhados em buscar a compreensão do mundo e do universo que nos rodeia de maneira isenta, e não comprometidos com suas crenças ou com entidades e organizações religiosas que os financiam. Os cientistas citados em primeiro lugar acima por você são todos de uma época anterior ao estabelecimento da teoria da evolução, ou seja de uma época em que todos acreditavam no fixismo. Naquela época o mundo era criacionista e a constatação de que as espécies evoluem não tinha ainda sido estabelescida. Quanto aos segundos, eu não tenho uma fonte para confirmar o que você disse, mas convenhamos, cientistas da área de física não estão lá muito habilitados a falar sobre biologia evolutiva. Mas esse negócio de ficar citando nomes de pessoas que apóiam essa ou aquela idéia é apelo a autoridade. Isto não tem peso como em uma discussão, o que vale é o peso dos argumentos que têm que ser bons por si próprios e não endosso que receberam de autoridades importantes do passado ou do presente. Se fosse assim eu poderia citar os nomes dos 72 ganhadores do premio Nobel que assinaram um manifesto a favor da ratificação da teoria evolutiva nos Estados Unidos. Todos eles bem mais contemporaneos, não acha? Mais uma vez, repito, não existem verdades absolutas em ciência. isto é dogma, não ciência.

  10. Marllow disse:

    Com certeza, e muito menos nas religiões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s